Mensagens

11/02/2020 18:03 - Atualizado em 11/02/2020 19:40

Cumprem-se as Escrituras!

E por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos.

(Mateus 24.12)

 

É com profunda tristeza e grande preocupação que vemos muitos crentes se desviando dos princípios e valores da fé cristã. Crentes que, por razões “puramente carnais”, abandonam os cultos e se afastam das demais atividades da igreja. Alguns apostatam da fé, outros se afastam.

Há uma diferença entre “se afastar” e “se apostatar”. Apostatar significa “abandono ou rebelião deliberada da fé”. Apostasia (em grego apóstasis) significa “estar longe de”, tendo o sentido de um afastamento definitivo e deliberado de alguma coisa, uma renúncia de sua anterior fé ou doutrinação.

Esses apóstatas, como diz Hebreus 6, são aqueles que romperam definitivamente com a fé cristã. Abraçando um credo diferente do que foi dado aos apóstolos, crucificaram o Senhor Jesus para si mesmos, sendo impossível o arrependimento para salvação.

Os que “se afastam” são aqueles que se esfriaram na fé e estão distanciados, ou se distanciando, dos caminhos do Senhor.

 Quando o apóstolo Paulo diz que “o deus deste século tem cegado o entendimento (…)”, o resultado é claro: “o amor de quase todos se esfriará”.

Isso é assustador! Este versículo deve nos levar à seguinte indagação: de que lado eu e você estamos nessa profecia?

O Pr. Paulo Romeiro, do Instituto Cristão de Pesquisa, diz que “uma geração de crentes nunca pecou tanto como a de hoje”. Por quê? Porque o pecado está muito mais próximo. É a internet com seus apelos eróticos, as novelas televisivas fomentando o adultério e o homossexualismo, a sedução das doutrinas heréticas por meio dos falsos profetas. Jesus afirmou que muitos dos próprios eleitos iriam se deixar levar por estes lobos travestidos de ovelhas.

Irmãos e irmãs, acordemos! O inferno é real, o arrebatamento vai acontecer, e as profecias estão se cumprindo, uma a uma. É certo que todos passaram e vão passar por momentos áridos na caminhada cristã, mas Deus nunca desampara os seus. Não teremos desculpa dos nossos erros! Se desviarmos do caminho estreito, não será a culpa do pastor, da igreja, das tribulações e sofrimentos, mas sim por falta de intimidade com Deus e comprometimento com a Sua Palavra.

E pior, o caminho largo, que tem atraído tantos crentes, tem levado aqueles que no passado recente foram instrumentos de bênçãos, a se alimentarem do prato de satanás, prostrando-se a ele em troca dos prazeres deste século. É por isso que, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará!

Em 1 João 4.6 lemos: “Eles saíram de nosso meio; entretanto, não eram dos nossos; porque, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco; todavia, eles se foram para que ficasse manifesto que nenhum deles é nosso.”.

Para reflexão: “Não abandonemos a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.” (Hebreus 10.25).

Pr. Arlécio Franco Costa

Recentes

Mensagem - Comportamento Cristão

Pastoral

Comportamento Cristão

Mensagem - Precisa-se de Servos

Pastoral

Precisa-se de Servos

Mensagem - A Nação da Promessa

Pastoral

A Nação da Promessa

Comentários

Deixe o seu comentário!

Todos os campos são obrigatórios.