Mensagens

7/03/2016 14:12 - Atualizado em 7/03/2016 14:12

Queremos ver Jesus!

Alguns gregos subiram a Jerusalém para a festa da Páscoa. Eles se dirigiram a Filipe, e lhe rogaram: “… queremos ver Jesus”. Jesus lhes respondeu: “É chegada a hora de ser glorificado o Filho do homem” v. 23. Jesus disse: “Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto” v. 24.

Quando os gregos pediram para ver a Jesus, a sua Palavra e os seus sinais já estavam alcançando as pessoas de fora de Jerusalém. Sua Palavra foi pregada e divulgada pelos seus discípulos, e depois por todos os convertidos cristãos genuínos.

Amados e amadas temos a impressão de vivermos uma escuridão do conhecimento de Deus, em que Deus desaparece do horizonte das expectativas da humanidade e a luz que vem de Deus parece apagar-se na cultura dos nossos dias. Muitos cristãos deixam-se envolver por este clima de indiferença e vivem como se Deus fosse apenas um conceito moral e nada mais , como se Deus não fosse alguém presente na vida de cada dia. Vamos a igreja, oramos , lemos a Bíblia somos lideres na igreja local e na denominação, mas ainda somos maus, vingativos, orgulhosos , vaidosos tudo parece indicar que falamos de Deus, mas não o conhecemos. Vivemos como que de costas voltadas para Deus. Em alguns momentos parece que assistimos ao apagar-se da fé como uma chama que já não se alimenta. Daí a urgência prioritária de irmos ao coração da nossa Fé e também fazemos o mesmo pedido daqueles gregos que foram a Jerusalém: “queremos ver Jesus!”

Sim, também nós queremos e precisamos saber quem é Jesus. Acredito que a nossa oração tem que ser um pedido: “Queremos ver Jesus”: não se trata de um ver alguém ou alguma personagem que passa, mas trata-se de encontrar, de conhecer de perto, ao vivo, pessoalmente a Jesus, de entrar em relação profunda com ele, de entrar no mistério da sua amizade, da sua intimidade, de buscar o seu rosto autêntico, um conhecimento por experiência pessoal. Mas só, e somente ajoelhados junto à cruz do Senhor é que O conheceremos verdadeiramente e conheceremos o rosto de Deus. Deus que é amor até o fim e até ao extremo da cruz.

Foi isso também que o Apostolo Paulo reconheceu com os olhos da fé e o viveu como experiência de vida, ao dizer-nos: “ Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gálatas 2:20 ). É um acontecimento de amor; o mesmo amor gracioso que ainda hoje opera o milagre do Novo Nascimento e não de um convencimento meramente formal e conceitual.

Queremos ver Jesus? Então precisamos contemplá-Lo estendido na cruz. Os braços abertos de Cristo são aquele gesto de abraço com que Deus nos atrai e no qual Ele nos quer envolver na graça do seu amor para que tenhamos vida, vida abundante.

Pr. Valquimar Soares Machado

Recentes

Mensagem - O Culto Cristao

Pastoral

O Culto Cristão

Mensagem - Diaconia

Diaconal

Diaconia

Mensagem - Dia Batista de Oracao Mundial

Oração

Dia Batista de Oração Mundial

Comentários

Deixe o seu comentário!

Todos os campos são obrigatórios.